DIREITO E HUMOR

Poderá o Direito, disciplina de "patologia social" e sisudez, possuir réstia de humor? Nada resiste à comicidade: os juristas são atreitos a anedotas e picardias, que, nunca levando a mal, pelo contrário, propagam. Considerando aqui Direito, pragmaticamente, apenas tudo o relacionado com as instâncias legais, judiciárias, ou administrativas, e compreendendo como humor toda a manifestação crítico-irónica desaguando em riso ou sorriso, procura-se exemplificar esta insuspeitada relação em histórias forenses, anedotas de advogados, e a presença do humor na doutrina, na lei e na universidade. O cómico no Direito é válvula de escape para o árido, entendiante e ritualístico. Mas também é recuperado pelo sistema, volvendo-se mesmo tópicos de índole satírica ou paródica em objectos sérios, símbolos veneráveis que um discurso legitimador sacralizará

Login