CUIDADORES INFORMAIS DE IDOSOS PORTADORES DE DEMÊNCIA: QUALIDADE DE VIDA E MORBILIDADE CONSEQUENTES AO SEU PAPEL DE CUIDADORES

Alguns estudos sugerem que cuidar de idosos portadores de demências acarreta elevados custos sociais e pessoais aos cuidadores. Este estudo teve como objectivos caracterizar os cuidadores informais e analisar o impacto pessoal e profissional, níveis de satisfação com a vida, bem como o grau da depressão, correlacionando, essas variáveis com os estádios de demência dos idosos. Este estudo tomou uma amostra de 40 sujeitos. A avaliação recorreu a uma entrevista semi-estruturada, ao Mini Mental State Examination (MMSE) de Folstein et al. (1975), à Escala de Satisfação com a Vida (SWLS) de Diener et al. (1985), à Clinical Dementia Rating (CDR) de Hughes et al., traduzida para português por João Barreto (1988) e, ainda, ao Self-Rating Depression Scale de Zung (1965). Os resultados mostram que a maioria dos cuidadores são mulheres (75%), com idades compreendidas entre os 26-87, média de 59 anos. A maioria dos cuidadores são familiares e grande parte estão inactivos profissionalmente (77,5%). Não se observa uma diferença estatisticamente significativa entre as médias quando se cruza a depressão com os estádios de demência, ao contrário do observado na satisfação com a vida, havendo mais satisfação com a vida junto dos cuidadores dos doentes em estádio leve ou moderado.


Login