APRENDER A PENSAR COMO PROFESSOR:CONTRIBUTOS DAS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES

A actual formação de professores caracteriza-se, grosso modo, pela separação (ou, mesmo, isolamento) no espaço e no tempo entre a teoria — da responsabilidade da universidade — e a prática — da responsabilidade das escolas. Compete, assim, à universidade e aos professores universitários a transmissão de saberes de cariz pedagógico e «académico» e às escolas e aos professores-formadores do 3º ciclo do ensino básico e do ensino secundário orientar e acompanhar o saber-fazer. Implícito ficará, então, o desenvolvimento do saber-ser ‘professor’ que, por estar ausente dos objectivos de formação, fica a cargo dos futuros-professores a quem cabe, então, a árdua tarefa de, por si sós, aprenderem a ensinar e aprenderem a pensar como professores. No entanto, permanecem até ao fim da sua formação, perspectivando-se exclusivamente como alunos sem possibilidades de se desenvolverem como profissionais reflexivos, isolados que estão da forma de pensar e agir da comuunidade educativa em que se vão inserir. As N.T.I. possibilitam a organização de ambientes educativos alternativos permitindo aos futuros agentes educativos confrontarem-se com pensamentos, juízos, decisões de professores experientes.


Login